domingo, 25 de março de 2012

Acerca dos filhos



Uma mulher que carregava o filho nos braços disse: "Fala-nos dos filhos."


E ele falou:


Vossos filhos não são vossos filhos.

São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.

Vêm através de vós, mas não de vós.

E embora vivam convosco, não vos pertencem.

Podeis dar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos,

Porque eles têm seus próprios pensamentos.

Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;

Pois suas almas moram na mansão do amanhã,

Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.

Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós,

Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.

Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas.

O arqueiro mira o alvo na direção do infinito e vos estica com toda a sua força

Para que suas flechas se projetem rápidas e para longe.

Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria:

Pois assim como ele ama a flecha que voa,

Ama também o arco que permanece estável.


(Khalil Gibran)



segunda-feira, 19 de março de 2012

O que carregamos?



Certa vez, dois monges viajavam juntos por uma estrada lamacenta. Chovia torrencialmente, o que dificultava a caminhada. A certa altura tinham que atravessar um rio, cuja água lhes dava pela cintura. Na margem estava uma moça que parecia não saber o que fazer:


- Quero atravessar para o outro lado, mas tenho medo!

- Venha, menina. - Disse o monge mais velho de imediato. E imediatamente a ergueu nos braços e a carregou, atravessando o lamaçal até à outra margem.

O outro monge ficou estupefato mas não falou nada até à noite, quando eles atingiram o alojamento do Templo. Então não se conteve mais e disse:

- Nós monges não nos aproximamos de mulheres. Especialmente se forem jovens e atraentes. É perigoso. Por que fez aquilo?

Imediatamente o outro monge respondeu:

- Eu deixei a moça lá. Você ainda a está carregando?


Parábola budista.

domingo, 4 de março de 2012

Saber lidar com as dificuldades

A nossa vida é feita de altos e baixos e, por mais que o desejemos, não dá para modificar essa realidade. Faz parte da dinâmica e do equilíbrio do Universo. Por outro lado, os maus momentos e as dificuldades podem resultar em oportunidades de aprendizagem e evolução. Podemos é não ter essa perceção na altura em que estamos mergulhados no contexto em si.

Seguem-se alguns métodos que poderão ajudar a lidar com as dificuldades:

  • Proceda à avaliação real da situação
    Em primeiro lugar, deverá enfrentar e analisar o contexto em si. Utilize tanto a racionalidade como aquilo que sente.
    O que está a acontecer em concreto? Porque é que isso aconteceu? O que lhe deu origem? Foi originado por si ou por sua causa? Qual é o grau de gravidade? Que efeitos poderão daí advir no futuro?
    Através desta análise é possível chegar à conclusão que o problema não é assim tão difícil de superar.
  • Proceda às devidas correções
    Se na origem do problema estiver um erro seu, admita-o e procure a devida correção.
    Pode pedir desculpas? Faça-o. Pode fazer correções? Identifique quais e aplique-as o mais rápido possível. 
  • Não se deixe paralisar pela inação
    Quando não se procuram soluções, os problemas mantêm-se ou até mesmo pioram. Muitas vezes, temos a tendência para “deixar as coisas andar”. Se bem que, por vezes, certas coisas se resolvam por si com o passar do tempo, nem sempre esta é a melhor abordagem. Sempre que possível, é preferível tomar ações enquanto o problema é pequeno. Mais tarde será provavelmente mais difícil de resolver. 
  • Detete pontos de superação
    Depois da análise da situação, não perca muito tempo a focalizar-se nos problemas. Comece a procurar soluções.
    O que está ao seu alcance para melhorar a situação? Pode fazer alguma coisa para ultrapassar esse obstáculo? Pode ao menos minorá-lo? Apresente alternativas válidas e, se for mais fácil para si, elabore uma lista com todos os passos que poderão ser considerados. Depois será questão de optar pela melhor via.
  • Apele às suas memórias de sucesso
    Procure lembrar-se de dificuldades semelhantes no passado que tenha superado.
    É possível uma abordagem semelhante na situação que está agora a viver?
    Mesmo que se trate de problemas distintos, só o facto de trazer à memória que no passado conseguiu ser bem-sucedido, vai contribuir para manter a sua moral em alta. Se conseguiu um dia lidar com situações difíceis, também vai conseguir agora, certo?
  • Procure ajuda experiente
    Procure saber se alguém das suas relações já passou por provas idênticas às que enfrenta. Em caso positivo, essas pessoas são as ideais para lhe prestarem troca de conhecimento e ajuda. Uma conversa pode ser o suficiente para que consiga encontrar uma solução.
    Caso ninguém no seu círculo de amizades tenha passado pelo mesmo tipo de experiências, experimente pesquisar o tema em livros ou filmes.
    O que é que essas pessoas ou personagens fizeram para ultrapassar o problema? Onde erraram?
    Procure aprender tanto com a forma como os outros atingiram o sucesso, como com os erros que cometeram. Isso vai evitar que cometa os mesmos erros.
    Em último recurso, se as suas pesquisas forem infrutíferas, procure a ajuda de alguém sensato em que possa confiar. O mais importante é não se deixar isolar, o que poderia contribuir para ampliar psicologicamente as dificuldades. 
  • Não aceite o papel de vítima
    Por mais que possa parecer fácil adotar o papel de vítima, culpabilizando as pessoas à nossa volta por tudo o que de mau nos está a acontecer, o facto é que esse papel não nos faculta soluções para o problema em si. Serve simplesmente para nos desculpabilizar perante os outros. Até é possível que tenha sido colocado nessa situação por culpa de alguém mas… e depois? O que de facto é importante é como é que vai sair dessa situação. Assuma a responsabilidade e liderança pela sua própria vida.
    O que é preciso fazer para reverter a situação? Como é que vai ultrapassar esse obstáculo? Estas são as perguntas com que precisa de lidar.
  • Não desista
    É possível que adote algumas estratégias e não seja bem-sucedido à primeira. As coisas podem até piorar por causa de algumas decisões erradas ou a falta delas. Tenha calma e não desista. Aprenda com os erros e corrija as estratégias. Tente de outra forma. Procure novas soluções. De todas as vezes que falhar, levante-se de novo. Tenha sempre presente os seus valores e tome ações somente no sentido de os honrar e preservar. Desde que persevere, as soluções acabarão por aparecer, por vezes de formas que nem sequer seria capaz de sonhar.

**Sinta-se à vontade para partilhar este artigo no seu blog, site ou newsletter. Se o fizer, por favor inclua o nome do autor e um link a este site**


Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-Não a obras Derivadas 2.5 Portugal.