sábado, 14 de janeiro de 2012

Como irradiar boas energias

Algumas pessoas questionam-se sobre o que fazer quando estão rodeadas de pessoas negativas. Referem estar genuinamente a esforçar-se trabalhando o seu interior, a procurar soluções criativas para os obstáculos do dia-a-dia mas que as suas tentativas são “boicotados” por alguém ao seu redor que se encontra numa outra sintonia.

A melhor solução seria evitar essas pessoas mas convenhamos que nem sempre isso é possível. Não podemos simplesmente desligar-nos daqueles com quem partilhamos o nosso espaço, quer se trate de familiares próximos, colegas de trabalho ou mesmo superiores hierárquicos. Se bem que por vezes uma rutura seja necessária, muitas vezes a solução encontra-se unicamente nas nossas mãos.

Vamos supor que reina a boa-disposição e alegria no nosso local de trabalho, de repente alguém entra na sala e diz algumas palavras sombrias que mudam por completo o ambiente. Pode até ser que nem diga nada, o facto é que aquela simples presença irradia energia negativa que toma conta do espaço. Uma única pessoa pode de repente tapar o sol do nosso dia com nuvens negras de trovoada. Conhece alguém assim? Aposto que sim. E o que fazer nesses casos?

É preciso que enfrente uma verdade incontornável. Enquanto alimentar sentimentos negativos por alguém ou alguma situação, será impossível irradiar boas energias. Questione-se acerca do seguinte:

  • O seu passado encontra-se resolvido ou carrega ressentimentos ou mágoas por alguém?
  • Conhece os seus talentos e também os seus pontos fracos?
  • Aceita-se a si próprio da forma como é, com os seus pontos positivos e negativos?
Terá de trabalhar na esfera dos relacionamentos até não existirem pensamentos negativos por ninguém. Tome atenção a quem e ao que o irrita. Preste atenção aos seus diálogos, às suas críticas em relação aos outros. Pergunte-se até que ponto é que essa pessoa ou situação não está a espelhar aspetos da sua própria personalidade que não consegue aceitar. Até que ponto não faz ou fez no passado aquilo que critica nos outros?

Quando não existirem ressentimentos, ódios e invejas no seu interior irá perceber que não existem razões para temer pessoas negativas. Quando se aceitar da forma como é, com o seu lado bom e mau, deixará automaticamente de ligar importância às pessoas que agora o incomodam. Em vez de irritação poderá sentir tolerância e compaixão.

Quando conseguir atingir esse estágio de aceitação de si e dos outros, começará a ser possível irradiar boas energias. Como? Enviando pensamentos de amor e compaixão na direção das pessoas que parecem trazer consigo o mau tempo. Sejam quais forem os pensamentos que essas pessoas estejam a alimentar, o mais importante é não se deixar contagiar pela sua negatividade. O facto de alguém estar mal disposto não implica que você fique mal disposto. O facto de alguém não gostar de si não implica que seja obrigado a não gostar dessa pessoa. E assim sucessivamente. Não se deixe nunca arrastar para a frequência da negatividade.

Quando alguém for desagradável para si, responda sendo agradável. Se alguém lhe levantar a voz, mantenha o seu tom de voz. É verdade que negatividade gera negatividade mas também é verdade que positividade gera positividade. Alguém tem de dar o primeiro passo. Seja pioneiro e dê esse primeiro passo. Os outros vão achar que é um frouxo? Penso que vão achar que é alguém especial e que o vão respeitar mais a partir desse momento.

Se tiver de lidar com alguém absolutamente detestável, tente o seguinte:

  • Pense que está em processo de autoconhecimento e que essa pessoa obviamente não está. Isso, só por si, mudará o seu padrão energético;
  • Inspire e expire várias vezes e prolongadamente;
  • Ao inspirar lembre-se de coisas boas e amorosas. Ao expirar, direcione esses pensamentos para a pessoa em questão.

**Sinta-se à vontade para partilhar este artigo no seu blog, site ou newsletter. Se o fizer, por favor inclua o nome do autor e um link a este site**

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-Não a obras Derivadas 2.5 Portugal.

Sem comentários:

Enviar um comentário