segunda-feira, 13 de junho de 2011

Como fortalecer a auto-estima

O conceito de auto-estima abarca tanto o sentimento de aceitação por nós próprios como o sentimento de competência e valor pessoal. A auto-estima é nivelada através das nossas vivências e histórias de vida e constrói-se predominantemente na infância. É apreendida através do que nos rodeia, dos modelos transmitidos especialmente pelos progenitores, família e professores. Quem tem uma auto-estima saudável respeita-se a si mesmo, reconhecendo a sua própria dignidade e valor.


Quem cresceu num ambiente em que desde muito cedo foi reprimido e subvalorizado através de expressões como: “Já te tinha dito que não ias ser capaz de fazer isso!”; “És sempre a mesma coisa!”; “És mesmo um inútil, não fazes nada de jeito!”; “Tu não tens quereres nem voto na matéria, fazes o que te digo e mais nada!”, dificilmente terá uma forte auto-estima. Será mais provável que se valorize pouco e que coloque todos os outros acima de si mesmo. Não acreditará em si e será inseguro, em maior ou menor escala. Terá dificuldade em alcançar os seus objectivos, por não acreditar nas suas competências. Poderá também ser uma pessoa passiva, tolerando relacionamentos abusivos e pouco ou nada satisfatórios.

Se está a identificar-se com o que acabo de escrever, não desanime. As coisas não precisam de ser assim a vida inteira. A qualquer altura poderá começar a trabalhar para reverter esta situação. O objectivo será aceitar-se e ter apreço por si mesmo, não necessitar da aprovação dos outros, expressar as suas necessidades e sentimentos, assumir responsabilidades e superar o medo da rejeição.

Seguem-se algumas dicas que poderá querer considerar para fortalecer a sua auto-estima:

  • É importante que identifique o que está a acontecer ou aconteceu no passado que o tenha levado a sentir-se inferior às outras pessoas. Em alguns casos pode ser aconselhável acompanhamento psicológico para trabalhar com bloqueios e situações traumáticas oriundos da infância ou do passado mais recente. Não enfrentar e resolver esses traumas será o equivalente a varrer as poeiras da sua casa para debaixo da carpete.
  • Identificar os seus talentos, habilidades e pontos fortes e procurar tirar o máximo partido destes pois são primordiais para se aceitar, acreditar e gostar de si próprio.
  • Identificar os seus pontos fracos, aqueles traços da personalidade que poderão dar azo a críticas. Poderá trabalhar esses seus “calcanhares de Aquiles” por exemplo frequentando cursos específicos ou aprendendo através de pessoas próximas que o possam ajudar. 
  • Aprender a valorizar-se a si próprio. Cuide do seu corpo no sentido de melhorar a sua auto-imagem. Procure alimentos nutritivos e saudáveis, permita-se fazer exercício físico e dormir as horas que são importantes para o seu bem-estar. Faça actividades que lhe dêem prazer, tal como passear, ler um bom livro, ouvir música do seu agrado, dançar ou muito simplesmente relaxar.
  • Não admita ter pensamentos negativos acerca de si próprio. Se der consigo a maltratar-se em pensamentos, reverta esses mesmos pensamentos para outros de carinho e motivação. Da mesma forma, não permita que os outros o tratem mal ou tentem inferiorizar.
  • Não procure por aprovação por parte dos outros pois haverá sempre quem não aprove as suas decisões por melhores que estas sejam. Tome acções em conformidade com o seu interior e os seus valores e não se preocupe em agradar aos outros.
  • Coloque limites às críticas dos outros. É importante sabermos admitir os nossos erros mas não somos culpados por tudo o que de mal acontece no mundo. Assuma e corrija os seus erros o mais rápido que lhe for possível mas não assuma os erros dos outros. Você não é melhor do que os outros mas também não é pior. Por isso, não permita que façam de si o “bode expiatório” de serviço.
  • Atreva-se a fazer coisas diferentes todos os dias. Mesmo que seja só descobrir um outro percurso, saborear um alimento que nunca provou ou experimentar uma actividade nova. A estagnação promove maus frutos no que se refere à auto-estima.

Para finalizar, tenha sempre presente que você é a pessoa mais importante da sua vida. Se não estiver bem consigo próprio, não conseguirá estar bem com os outros. Por isso, transforme-se no seu melhor amigo, cuide da sua auto-estima e procure ser feliz.

**Sinta-se à vontade para partilhar este artigo no seu blog, site ou newsletter. Se o fizer, por favor inclua o nome do autor e um link a este site**


Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-Não a obras Derivadas 2.5 Portugal.

Sem comentários:

Enviar um comentário