sábado, 30 de outubro de 2010

A vida como uma viagem


Partindo da metáfora que a vida é uma viagem, imagine que ruma em determinada direcção e de repente se apercebe que vem tomando um caminho errado. É certo que a primeira coisa que vai fazer é lamentar-se do tempo que perdeu enquanto percorria esse caminho. Contudo, não valerá a pena ficar a chorar pelo leite derramado, se o fizer estará ainda a perder mais tempo. O facto é que quer chegar a determinada meta e se apercebeu que enquanto se mantiver no caminho que vem percorrendo nunca lá chegará. O lado positivo da questão é que pelo menos agora tem essa consciência enquanto anteriormente se encontrava equivocado.


Podemos sempre encontrar uma nova direcção. A qualquer altura podemos pegar num mapa que nos indique novos rumos. Parar não é uma opção. Desde que mantenhamos o foco na nossa meta, conseguimos sempre esboçar um novo caminho. E existem sempre inúmeros caminhos, nunca estamos limitados a apenas uma opção.


Uma atitude positiva ajuda-nos a avançar e, mesmo quando não temos a certeza de onde estamos, isso não significa que estejamos perdidos. Só estamos perdidos quando não sabemos para onde nos dirigimos, quando não temos sonhos nem objectivos para seguir. Se não temos uma meta definida, como poderemos traçar caminhos para seguir?


Por outro lado, poderá haver alturas, quando não sabemos que direcção tomar em concreto, em que seja benéfico arriscar trajectos diferentes e completamente desconhecidos. O certo é que esses desvios que nos levam a explorar o desconhecido podem ser uma oportunidade para descobrir as coisas belas da vida que de outra forma teríamos perdido. Não se esqueça que a estrada menos frequentada costuma oferecer a recompensa das paisagens mais deslumbrantes.


Se algum dia chegar a uma encruzilhada, seja espontâneo e genuíno. Opte por entrar em contacto com o seu interior e seguir a orientação da intuição. Não tenha receio de se aventurar por trilhos pouco percorridos. Poderemos sempre transformarmo-nos em pioneiros e transmitir à geração vindoura uma rota melhor e mais bem traçada. Só precisamos arranjar coragem para desbravar esse novo percurso.


Obviamente que existe sempre a opção de procurar a ajuda de alguém que já tenha atingido a meta que ambiciona. Aconselhe-se com essa pessoa ou pessoas acerca da melhor direcção a tomar. Se existe um caminho directo e seguro já traçado, por que não permitir-se seguir por esse caminho?


**Sinta-se à vontade para partilhar este artigo no seu blog, site ou newsletter. Se o fizer, por favor inclua o nome do autor e um link a este site**


Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-Não a obras Derivadas 2.5 Portugal.

2 comentários:

  1. Nós traçamos o nosso caminho e temos que ver onde erramos e nada é tempo perdido, apenas tomamos uma lição para percorrer o resto...

    ResponderEliminar
  2. Olá, Eu, Concordo plenamente consigo. Tudo tem uma razão de ser, tudo é uma lição de vida. Mas nem sempre estamos a seguir o caminho mais directo para atingir a nossa meta. Por vezes e sem nos darmos conta andamos a seguir curvas intermináveis que até nos afastam - era esse o contexto que eu pretendia defender.
    Um abraço

    ResponderEliminar