sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Destino

Durante uma batalha, um general japonês decidiu avançar para o ataque, apesar do seu exército ser mais reduzido do que o do opositor. Ele estava confiante que iriam ganhar. Apesar da sua confiança, os seus homens estavam consumidos pelo receio e pela dúvida. No caminho do campo de batalha, pararam num pequeno santuário. Depois de rezar, o general pegou numa moeda e anunciou: «Vou atirar uma moeda ao ar. Se calhar cara, iremos ganhar. Se calhar coroa, iremos perder. O destino irá desta forma revelar-se perante nós.»

Atirou a moeda ao ar. Todos os olhares seguiram o seu movimento, expectantes, vendo o rodopiar da moeda e, finalmente, a sua queda. Calhou caras. Os soldados ficaram tão confiantes e eufóricos que se precipitaram para o campo de batalha. Atacaram vigorosamente o inimigo e decretaram-se vitoriosos.

Após a batalha, um tenente fez a seguinte observação ao general: «Ninguém consegue alterar o destino!»

«Sem dúvida!», respondeu o general enquanto mostrava ao tenente a moeda que tinha caras em ambos os lados.


Somos nós que fazemos o nosso próprio destino, através dos nossos pensamentos e acções dirigidas. Se acreditarmos ferverosamente que vamos ganhar seja o que for e lutarmos por essa coisa, ganharemos. Da mesma forma, se acreditarmos que vamos perder, perderemos.



Autor desconhecido.
Texto traduzido e adaptado de história publicada em http://www.spiritual-short-stories.com/

Sem comentários:

Enviar um comentário