segunda-feira, 7 de junho de 2010

A Cerca

Era uma vez um menino que tinha um temperamento muito forte. Um dia, o seu pai deu-lhe um saco de pregos, dizendo-lhe que cada vez que ficasse furioso pregasse um prego na cerca do fundo da casa.

No primeiro dia, o garoto pregou 37 pregos mas, gradualmente, foi-se acalmando. Descobriu que era mais fácil controlar o seu temperamento do que pregar os pregos na cerca.

Finalmente chegou o dia em que o garoto não se enfureceu nenhuma vez. Contou ao pai a sua façanha e pai sugeriu-lhe que, a partir desse mesmo momento, por cada dia que conseguisse dominar o seu temperamento retirasse um dos pregos da cerca.

Passou-se mais algum tempo e o garoto procurou o pai para lhe dizer com entusiasmo que tinha conseguido retirar todos os pregos.

O pai tomou o filho pela mão e levou-o até a cerca. Disse-lhe então:

- Fizeste muito bem meu filho, mas repara que a cerca está cheia de marcas e nunca mais será a mesma. Quando estás furioso e dizes coisas agressivas, essas palavras deixam uma cicatriz no teu próximo tal como os pregos deixaram as marcas na cerca. Podes cravar e retirar uma faca num homem. Não importa quantas vezes possas depois dizer: "desculpe". A ferida mesmo assim permanecerá. Uma ferida verbal é tão ruim como uma ferida física.


As palavras podem magoar mais do que uma faca afiada. Depois de proferidas, é impossível voltar atrás e corrigir o mal causado, por maior que seja o arrependimento. Devemos ter atenção ao que dizemos e à forma como o fazemos.

Adaptado de texto de autor desconhecido


***********Nota: Os modernos conceitos de metáfora, baseados na obra de Milton Erickson, são adoptados pela PNL.

Sem comentários:

Enviar um comentário