quarta-feira, 26 de maio de 2010

Culpando a sua família


«...Culpar é uma das maneiras mais seguras de permanecer dentro de um problema. Ao deitar as culpas sobre outrem abdicamos do nosso poder. Compreender permite elevarmo-nos acima da questão e assumir o controlo do nosso futuro.

Não podemos alterar o passado. O futuro é moldado pela nossa forma de pensar actual. Para a nossa libertação é imperativo que compreendamos que os nossos pais estavam a fazer o melhor que podiam à luz do discernimento, consciência e conhecimento que possuíam. Cada vez que lançamos as culpas sobre alguém não assumimos a responsabilidade por nós próprios.

Aquelas pessoas que lhe fizeram aquelas coisas horríveis estavam tão apavoradas quanto você. Elas sentiram-se tão indefesas como você agora se sente. As únicas coisas que elas lhe podiam ensinar eram aquelas que lhe tinham sido ensinadas.

O que é que sabe sobre a infância dos seus pais, especialmente antes dos dez anos? Se ainda é possível saber, pergunte-lhes. Se conseguir descobrir mais acerca da infância dos seus pais, perceberá mais facilmente as razões que os levaram a fazer as coisas que fizeram. Essa compreensão irá trazer-lhe compaixão.

Se não sabe nada e não puder descobrir, procure imaginar como é que devem ter sido as coisas para eles. Que tipo de infância poderia ter criado tais adultos?

Precisa deste conhecimento para alcançar a sua própria liberdade. Não pode libertar-se a si mesmo enquanto não os libertar. Não pode perdoar-se a si mesmo enquanto não os perdoar. Se lhes exigir perfeição, exigirá igualmente de si mesmo a perfeição e será miserável para o resto da sua vida...»


Hay, Louise. In Pode curar a sua vida

Sem comentários:

Enviar um comentário