sexta-feira, 19 de março de 2010

Libertar-se do Mau Humor


Todos nós temos os nossos maus humores de vez em quando. É perfeitamente normal, pelo que temos de encarar esse facto sem dramatismos. Porém, quando o problema toma contornos mais contundentes e damos por nós a reagir impetuosamente a cada pequena coisa que ameace a nossa rotina, então é altura de agir e impedir que a ruína tome conta do nosso dia.

Por vezes, os maus humores acontecem exactamente nos piores momentos e podem mesmo impedir a realização de objectivos importantes anteriormente estabelecidos. Para evitar o problema, pode encontrar abaixo algumas estratégias simples para retomar o seu equilíbrio.
  • Abandone a sala
    Melhor dizendo, mude de cenário o mais rápido possível. O mau humor pode ser despoletado por todo o género de coisas e frequentemente a origem encontra-se no seu meio envolvente. Assim, se continuar no mesmo ambiente, é provável que continue a pensar e repensar nessa coisa que desencadeou a sua irritação.
    Se puder, vá de imediato para outro ambiente, envolva-se com novas situações ou tarefas, com diferentes pessoas e diferentes sensações.
  • Dê um mimo a si próprio
    Quando se está de mau humor é fácil procurar pretextos para reforçar essa disposição. Porquê? Simplesmente porque queremos ter a percepção que esse mau humor é justificável e então procuramos tudo e mais alguma coisa para o confirmar.
    Quebre essa conduta fazendo o oposto, por mais estranho que isto lhe possa parecer. Assista a um filme cómico, cante a sua música favorita, saia para uma caminhada no seu jardim local, para ir tomar um café ou uma fatia de bolo. Faça alguma coisa que lhe dê prazer e lhe coloque um sorriso no rosto. Vai ver que o mau humor passará à história em três tempos.
  • Em cinco minutos deite tudo cá para fora
    Vá para uma sala isolada ou para algum sítio no exterior e simplesmente grite, choramingue e barafuste tanto quanto queira. Comprometa-se simplesmente a voltar e retomar as suas responsabilidades passados cinco minutos. Nesse entretanto, não pense nem faça pausas, simplesmente deite tudo cá para fora. Vai ver como esse período de catarse vai operar maravilhas. O que acontece com mais frequência é que antes de esgotados os cinco minutos, a grande maioria das pessoas já conseguiu livrar-se de toda a má energia e até já soltou algumas gargalhadas à mistura. Seja como for, vai certamente sentir-se mais leve.
  • Vá até ao ginásio
    Tem o mesmo efeito da caminhada, na medida em que o exercício físico influencia o nosso humor devido ao facto de serem libertadas endorfinas e serotoninas na corrente sanguínea, o que provoca uma sensação de bem-estar e prazer. Ir ao ginásio, não só permite a libertação desses químicos milagrosos como desvia a atenção da origem do mau humor. Ao mesmo tempo que cuida da sua mente e do seu espírito, estará a cuidar da sua saúde física. É o que se chama “matar dois coelhos com uma só cajadada”.

Em conclusão, convém alertar que o mau humor pode ser afinal uma reacção positiva, sobretudo se surge com frequência. Nesse caso, poderá funcionar como um sinal de que alguma coisa de errado se passa na sua vida. Ao permitir que o mau humor tome o seu curso normal, acabará por ser impelido a pesquisar os recantos escuros do seu subconsciente, que de outra forma não pesquisaria. Procure os motivos escondidos para esse mau humor constante, analise tudo o que pode ser feito para mudar a situação. O problema é relacionado com a carreira profissional? Sente-se estagnado e numa situação em que percepciona que faça o que fizer não conseguirá evoluir? Simplesmente entra em conflito com determinado colega de trabalho? O que está a acontecer que precisa ser encarado e modificado?

O mau humor pode ser tão válido como o bom humor. O facto de aceitar esta premissa pode permitir-lhe trazer ao consciente certos pormenores da sua realidade a que antes não atribuía ou não queria atribuir importância.

Sem comentários:

Enviar um comentário