terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Viver como as Flores


Um discípulo, não encontrando resposta para as suas apoquentações, procurou o seu Mestre. Foi encontrá-lo em contemplação sentado frente a um jardim salpicado de flores. Após alguma hesitação, interrompeu o seu silêncio para perguntar:

"Mestre, como faço para não me aborrecer? Algumas pessoas falam demasiado, outras são ignorantes. Algumas outras ainda são indiferentes. Sinto ódio das que são mentirosas. Sofro com as que caluniam”.

“Pois então viva como as flores!”, respondeu o mestre sem retirar o olhar da imensidão do jardim.

“Mas como é viver como as flores?”, perguntou o discípulo, intrigado.

“Repare nestas flores”, continuou o mestre, apontando lírios que cresciam no jardim. “Elas nascem no esterco, no entanto são puras e perfumadas. Extraem do adubo fétido tudo que lhes é útil e saudável mas não permitem que a aspereza da terra manche o frescor de suas pétalas”.

O discípulo sentou-se ao seu lado, em silêncio, sentindo o seu coração ser tocado amorosamente pelas palavras sábias do seu Mestre. Com um sorriso sereno, este continuou:

“É justo angustiar-se com as suas próprias culpas, mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem. Os defeitos deles são deles e não seus. Se não são seus, não há razão para aborrecimento. Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo o mal que vem de fora. Compreende agora como é viver como as flores?".


Adaptado de texto de autor desconhecido


***********Nota: Os modernos conceitos de metáfora, baseados na obra de Milton Erickson, são adoptados pela PNL.

Sem comentários:

Enviar um comentário