sábado, 19 de dezembro de 2009

Vencer os Medos


Por vezes deixamos que os receios e dúvidas nos dominem e impeçam de seguir os nossos sonhos. Ao permitir que o medo nos controle por longos períodos, a nossa qualidade de vida pode ser prejudicada e levar-nos a ficar prisioneiros da inércia e da estagnação.

Porém, tome consciência que o medo não é mais do que uma resposta automática oriunda da mente. É somente uma reacção natural a situações estranhas ou desconhecidas. Por ser instintiva, há truques que podemos fazer para ultrapassar essa reacção.

  1. Verifique as suas expectativas
    A existência de expectativas negativas é o factor que mais contribui para o prevalecimento do medo.
    Será que está sempre à espera que aconteça o pior? Será que se preocupa obsessivamente com o que poderá correr mal, em vez de se focalizar nas suas forças e capacidades?
    Se fizer um esforço consciente para ver o lado positivo de cada questão e por se relembrar que consegue lidar com toda a espécie de situações, verificará que os seus receios serão dissipados ou pelo menos diminuídos.
  2. Retire o crédito aos seus medos
    Os especialistas irão dizer-lhe que a maior parte das coisas que receia simplesmente acabará por nunca acontecer. Se olhar mais de perto os seus receios e tomar consciência de todo o mecanismo existente, verá que vai ser capaz de ultrapassar esses receios, pelo menos na sua grande maioria.
    Por exemplo, se não se sentir confortável a falar em público e precisar de fazer uma apresentação a nível profissional, poderá acontecer que o medo o leve a sentir que toda a sua vida se encontra em jogo. Poderá mesmo dramatizar a questão e começar a preocupar-se que se não se sair bem na apresentação poderá ser despedido, ou que o chefe poderá perder o respeito por si, ou mesmo que os colegas poderão criticar e rir-se da sua performance.
    Será que alguma destas coisas vai mesmo acontecer? É provável que, na maioria dos casos, tudo aconteça simplesmente na sua mente e não na realidade. A não ser que se esforce muito para que tal aconteça.
    Em vez de se preocupar com o que “poderá” acontecer se a sua apresentação não for boa, será mais assertivo fazer o oposto, ou seja concentrar-se na visualização de uma boa apresentação e da plateia aplaudindo o seu desempenho. Poderá também procurar descontrair-se através de exercícios respiratórios ou físicos. E se continuar a sentir-se inseguro, poderá sempre esforçar-se por se preparar melhor, por ensaiar a apresentação com a sua família e amigos, escrevendo notas, etc.
  3. Faça exactamente aquilo que mais receia
    Ao trazer à lembrança que o medo não passa de um sentimento, este perde muito do seu poder. Poderá então escolher ignorar esse sentimento e continuar em frente, a não ser que de facto esteja a lidar com situações de verdadeira ameaça.


Se medir os prós e os contras em todas as situações, poderá verificar que a possibilidade de consequências negativas é insignificante. Assim, nada o impede de simplesmente ignorar os seus medos e lutar pelo que realmente mais deseja. Evidentemente que não se pretende que se torne descuidado com as suas tomadas de decisão ou que tome riscos desnecessários. A intenção é conferir-lhe a capacidade de perceber quando se trata de um medo infundado, para que o possa ultrapassar e concretizar os seus sonhos.

Sem comentários:

Enviar um comentário