sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Tomar consciência do Diálogo Interno


Alguma vez prestou atenção à conversa que vai mantendo consigo próprio ao longo do dia? Não me estou a referir aos lembretes que vão surgindo na sua mente e que servem para o relembrar das actividades e tarefas que é necessário fazer ao longo do dia. Obviamente que também é uma forma de diálogo interno mas gostaria agora que se centrasse nas coisas que está constantemente a dizer a si próprio e que servem de suporte ao seu modo de ser e de estar na vida. Também importante ou até mais importante ainda é o tom que costuma utilizar nesse diálogo interno.


Quando comete um erro, repreende-se de forma agressiva? Humilha-se ou chama-se a si próprio nomes depreciativos? Cada vez que se esforça para fazer mudanças positivas na sua vida, por acaso costuma lamentar-se e pensar que é uma pessoa inútil e insignificante? Se sim, muito provavelmente considerará para si próprio que nunca faz nem nunca fará nada como deve de ser ou então que nunca "chegará aos calcanhares" das pessoas bem sucedidas socialmente. Obviamente que dessa forma o resultado será a continuação da estagnação na sua vida.


Um diálogo interno negativo pode provocar enormes estragos na sua auto-estima, especialmente se for repetido ao longo do tempo. Quando de uma forma sistemática vai dizendo coisas negativas para si próprio, é inevitável que acabe por acreditar nelas.
Com frequência, a maior parte dessas afirmações surge na infância. São proferidas pelos adultos, quer sejam os progenitores, familiares ou professores. Algo negativo poderá ter sido pronunciado acerca de si e depois repetido de forma continuada. Provavelmente sentiam desagrado por alguma acção ou hábito seus e procuravam demovê-lo através dessas afirmações depreciativas. Ou eventualmente poderiam tratá-lo rudemente mesmo quando nada fazia para merecer esse tratamento, simplesmente por fazer parte do contexto social ou cultural em que estavam inseridos.


Por mais dolorosa que essa experiência possa ter sido no passado, o pior é quando agora é você próprio a criar essas palavras negativas e a aplicá-las a si próprio repetidamente. Porém, nada está irremediavelmente perdido pois pode mudar o seu diálogo interno a qualquer altura, desde que se disponha a isso. Tudo o que necessita é de aprender a estar atento às palavras e ao tom que costuma utilizar internamente e, de uma forma consciente, substitui-las por outras mais amigáveis e encorajadoras.

Sugestão de trabalho - Passos para um diálogo interno positivo:

  1. Tome atenção à sua conversa interior
    Pode necessitar de alguma prática mas, ao prestar atenção de uma forma continuada, começará a dar-se conta das vezes em que fala consigo próprio de modo depreciativo.
  2. Ponha fim às mensagens negativas
    Quando reparar que está a pensar algo negativo, como por exemplo “Fazes sempre tudo errado, és mesmo um inútil”, pare de imediato e pergunte a si próprio se isso é verdade. Talvez por vezes cometa erros, mas está sempre a cometer erros? Pense em todas as coisas úteis que consegue fazer ou já realizou no passado.
  3. Substitua as mensagens negativas por outras positivas
    Assim que se aperceba que está a dizer coisas desagradáveis para si próprio, simplesmente esforce-se para pensar de outra forma. Poderá por exemplo dizer “Isso não é de todo verdade! Faço muitas coisas bem. Por vezes cometo erros mas toda a gente comete erros. Sou uma boa pessoa e esforço-me sempre por dar o meu melhor”.

Com o tempo, os seus esforços serão recompensados e ganhará uma forte auto-estima e respeito por si próprio e pelas suas capacidades. Provavelmente isso não acontecerá da noite para o dia, mas quanto mais trabalhar na mudança do seu diálogo interior melhor se sentirá consigo próprio. Estará com toda a certeza a preparar o solo para o crescimento de bons frutos.

Sem comentários:

Enviar um comentário