domingo, 29 de novembro de 2009

The Butterfly Circus



Vale a pena ver esta curta-metragem. Trata-se de uma história comovente e inspiradora, com uma forte mensagem de esperança e motivação, vencedora do concurso anual 2009 organizado pelo “The Doorpost Film Project”.
Há sempre a hipótese de mudarmos de perspectiva perante a vida e com isso mudarmos definitivamente toda a nossa existência.


1ª Parte
http://www.youtube.com/watch?v=PzMLsK-jVMo&feature=related

2ª Parte
http://www.youtube.com/watch?v=ZIDj-Oo4FlU&feature=related

Por poucos recursos que tenhamos e por mais limitados que estejamos, temos sempre algo para oferecer aos outros.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Ponha-se em acção!


Se alguma vez passou por um período prolongado de inércia, provavelmente se recordará do sentimento de futilidade e vazio que tomou então conta de si. Decerto desejava profundamente uma mudança mas, ao mesmo tempo, sentia-se impotente para fazer alguma coisa. Por mais planos que fizesse para tentar melhorar a sua vida nunca conseguia entrar em acção pois sentia receio de iniciar qualquer empreendimento.


Por vezes, o simples facto de pensar em tomar medidas pode parecer assustador mas saiba que, desde que ultrapassada, essa situação pode conferir-lhe poder. Se aprender a fazê-lo eficazmente, essa tomada de acção pode conduzi-lo para circunstâncias enriquecedoras e uma vida preenchida. Assim que iniciar o processo, vai aperceber-se que nunca existiu razão para medos e deixará de ficar preso na inércia.

Em primeiro lugar, tente compreender que a sua vida está da forma que está por causa da sua hesitação em tomar acção. É necessário que tome consciência desse facto porque só dessa forma se aperceberá de como é importante tomar um novo rumo. Por vezes, uma mudança de direcção pode ser dolorosa e provocar ansiedade e angústia mas acredite que se vai sentir bem melhor quando se dispuser a fazer qualquer coisa.
Pense em como a sua vida é actualmente e pergunte-se que situação gostaria de mudar primeiro. Poderá ser a sua carreira, os seus relacionamentos, a saúde, as finanças, o lazer ou qualquer outra área em que se sinta estagnado. Pense numa medida simples que possa desencadear todas as outras acções necessárias e o inspire a realizar uma mudança positiva. O primeiro passo é o mais importante pois, por mais pequeno que possa parecer, vai impulsionar todos os outros passos necessários à transformação.

Assim que se decida a tomar uma medida de acção em concreto, é necesário que se incentive a si próprio para não parar, aconteça o que acontecer. Acredite que a maioria das coisas de que temos receio simplesmente acaba por nunca acontecer. E pode até ser que nem sequer exista uma razão clara para se sentir assustado. Pode estar simplesmente com medo do desconhecido, o que é perfeitamente normal. Estimule-se a si próprio para que avance todos os dias um pouco, mesmo que lhe pareça um avanço insignificante. Ao longo do tempo, os pequenos passos transformam-se numa longa caminhada que poderá alterar de uma forma significativa o rumo da sua vida.
Assegure-se de que se liberta de qualquer tipo de expectativas acerca do que irá acontecer. Permita sentir-se bem consigo próprio simplesmente por ter feito alguma coisa para mudar a sua vida. E depois vá em frente. Assim que tiver tomado o primeiro passo, é necessário que continue em movimento para completar os passos seguintes. Tal como um período prolongado de inércia pode conduzir a um ciclo de negatividade e estagnação, a produtividade pode conduzir a um ciclo positivo de crescimento e evolução. Quanto mais acções puser em prática, mais fácil se tornará todo o processo.

sábado, 21 de novembro de 2009

Como Atrair Dinheiro

Ao tomar conhecimento da Lei da Atracção, a maioria das pessoas deseja em primeiro lugar atrair dinheiro para as suas vidas. Estão fartas de lutar e nunca ter o suficiente e anseiam por segurança financeira. Infelizmente, atrair dinheiro é um dos objectivos mais difíceis de concretizar, pelo facto do dinheiro carregar em si um forte peso emocional. Está muita coisa em jogo no sucesso em atrair dinheiro, nomeadamente a nossa paz de espírito, a nossa segurança, a nossa liberdade, entre outras coisas que contribuem para a chamada felicidade.
Colocar demasiada ênfase nos resultados da obtenção de dinheiro apenas cria mais bloqueios. Quanto mais pensar que necessita “desesperadamente” de recursos financeiros, quanto mais acreditar que não pode ser feliz sem a quantia que deseja obter, mais frustrado se sentirá sempre que verifica que os resultados ansiados não se estão a manifestar. E mais tempo demorará até que consiga de facto atrair prosperidade.
Existem porém alguns passos que podem servir-lhe de ajuda para clarificar todo o processo em si:

  1. Anime-se e divirta-se!
    Quanto mais sério e tenso estiver ao tentar fazer com que a lei da atracção funcione, o menos provável será que obtenha bons resultados. Se em vez disso, olhar para a situação como um jogo, divertindo-se em todo o percurso, estará a transferir energia positiva para o processo, o que atrai prosperidade. Faça por se desprender e desinteressar dos resultados. Acabará por atrair mais dinheiro e também mais alegria, paz, prazer e paixão em todas as áreas da sua vida.
  2. Seja e viva aquilo que deseja atrair
    Outro erro que sucede com frequência é a percepção do “presente e futuro”. Acredita que está no momento presente, no meio de carência e em plena luta pela sobrevivência, e tenta então chegar a um ponto no futuro, onde existe fartura e abundância. O que eventualmente acabará por perceber é que não existe “presente e futuro”. A única coisa que existe é o agora, o momento actual. Tudo o que estiver a comunicar ao universo neste momento é aquilo que está a criar na sua realidade física.
    Em vez de se focalizar em tentar atrair mais dinheiro para um determinado momento futuro, torne-se em alguém que já possui todo o dinheiro que precisa AGORA. Pense, sinta e actue como se os seus objectivos já tivessem sido alcançados e assim será. Focalize-se diariamente em sentir-se alegre, em paz e segurança, com prosperidade e com um forte sentimento de gratidão por tudo o que tem. Assim, atrairá circunstâncias de vida que correspondem a esses sentimentos.
  3. Desligue-se de expectativas
    Não se preocupe sobre “como” o dinheiro virá até si. Não se focalize obsessivamente em ganhar o Euromilhões, em receber uma hipotética herança ou qualquer coisa desse género. Deixe o Universo decidir como o dinheiro virá até si. Mantenha-se aberto a todas as oportunidades de ganhar mais dinheiro e agarre essas oportunidades logo que surjam.
    Quanto mais tentar controlar a entrada de abundância, mais bloqueios estará a criar.
    De igual modo, assegure-se que se liberta de todas as expectativas quanto a prazos para que o dinheiro chegue até si. Poderá sentir-se tentado a fixar datas limite para todo o processo mas as coisas não funcionam dessa forma. Tudo tem o seu próprio tempo e sabedoria. Esteja disposto a acreditar e a esperar, dessa forma estará a abrir um portão para uma corrente de bênçãos na sua vida.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

A prática da meditação



Meditação refere-se a um estado em que o corpo e a mente estão conscientemente relaxados e focalizados. Os seus praticantes relatam uma maior sensibilização, focalização e concentração, bem assim como uma perspectiva mais positiva da vida.

A prática da meditação está vulgarmente associada com misticismo e outras disciplinas espirituais, contudo ninguém precisa de ser um monge para usufruir dos seus benefícios. E também não há necessidade de se estar num lugar inusitado - a sua própria sala de estar ou o seu quarto são mais que suficientes.

Se bem que existam diferentes abordagens para a meditação, os principais fundamentos continuam inalterados. O princípio mais importante é a remoção de todos os pensamentos negativos e devaneios, acalmando a mente com um profundo sentido de focalização. Esse procedimento, por si só, limpa a mente e prepara-a para uma qualidade superior de actividade.

Para que a mente se possa focalizar em pensamentos mais profundos e significativos, é necessário que primeiro se expulsem todos os pensamentos negativos que possam contribuir para a poluição da mente, tal como por exemplo o barulho que os vizinhos costumam fazer, relacionamentos eventualmente conflituosos, a multa de trânsito, o spam indesejado ou o vírus que danificou o computador.

Alguns praticantes excluem mesmo todas as entradas sensoriais – audição, visão e tacto – e tentam alhear-se de toda a comoção à sua volta. É possível então a focalização em pensamentos profundos e vastos. Pode parecer assustador ao princípio, uma vez que não estamos habituados a desligar-nos da actividade sensorial mas, dando continuidade a esse exercício, paradoxalmente o resultado é uma maior atenção a tudo o que nos rodeia.

Procure uma posição que o permita relaxar e focalizar-se, em detrimento de posições mais complicadas utilizadas por quem pratica exercícios de yoga há muitos anos. Será preferível estar sentado, uma vez que a posição de deitado tem o senão de induzir ao adormecimento. Procure que as suas costas se mantenham direitas mas não rígidas ou tensas.

Utilize roupas largas, confortáveis e claras. Poderá mesmo adquirir uma túnica específica que utiliza somente para a prática da meditação, acompanhada ou não de adereços específicos para a ocasião.

Escolha o local apropriado para a sua prática. Pode ser na sua sala de estar, no quarto ou numa saleta pouco utilizada mas acolhedora. O importante é que se sinta bem e em paz nesse lugar, por isso este deverá estar limpo e arejado. Poderá colocar uma jarra de flores, ou um prato com seixos e água, ou um incensório ou velas aromáticas. Escolha simplesmente aquilo com que se sinta melhor e que melhor funcione como um ritual para a actividade. A maioria das pessoas prefere o silêncio, contudo pode experimentar como se sente com uma música de fundo suave e relaxante. Desligue o telefone e o telemóvel e mantenha-se isolado de barulhos como o accionar de elevadores ou o trepidar de electrodomésticos.

Os monges que observa na televisão a repetir sons monótonos estão na realidade a concentrar-se nos seus mantras, o que para esses praticantes representa um valor místico. Obviamente que não precisa de os imitar se não entende minimamente qual o significado mas é importante que perceba que a focalização em acções repetidas tal como a respiração e a oração ajudam o praticante a entrar num estado elevado de consciência. Sendo que a focalização é importante, poderá experimentar focalizar-se num objecto específico ou até, com os olhos abertos, concentrar-se num determinado ponto à sua escolha.

Os estudos e pesquisas mostraram há muito que a meditação é benéfica para o corpo, para a mente e para o espírito. Por isso, aproveite o interesse crescente que a comunidade dedica aos efeitos da meditação e comece hoje mesmo a sua prática.

sábado, 14 de novembro de 2009

A Pedra no Caminho


Conta-se a lenda de um rei que viveu num país além-mar há muitos anos. Ele era muito sábio e não se poupava a esforços para ensinar bons hábitos ao seu povo. Frequentemente fazia coisas que pareciam estranhas e inúteis; mas tudo que fazia era para ensinar o povo a ser trabalhador e cauteloso.

- Nada de bom pode vir a uma nação - dizia ele - cujo povo reclama e espera que outros resolvam os seus problemas. Deus dá as coisas boas da vida a quem lida com os problemas por conta própria.

Uma noite, enquanto todos dormiam, ele pôs uma enorme pedra na estrada que passava pelo palácio. Depois foi se esconder atrás de uma cerca, e esperou para ver o que acontecia.

Primeiro veio um fazendeiro com uma carroça carregada de sementes que levava para moagem.

- Quem já viu tamanho descuido? - Disse ele contrariado, enquanto desviava a sua parelha e contornava a pedra. - Por que esses preguiçosos não mandam retirar essa pedra da estrada? - E continuou reclamando da inutilidade dos outros, mas sem ao menos tocar, ele próprio, na pedra.

Logo depois, um jovem soldado veio cantando pela estrada. A longa pluma do seu quepe ondulava na brisa, e uma espada reluzente pendia à sua cintura. Ele pensava na maravilhosa coragem que mostraria na guerra.

O soldado não viu a pedra, tropeçou nela e se estatelou no chão poeirento. Ergueu-se, sacudiu a poeira da roupa, pegou na espada e enfureceu-se com os preguiçosos que, insensatamente, haviam largado uma pedra imensa na estrada. Então, ele também se afastou, sem pensar uma única vez que ele próprio poderia retirar a pedra.

Assim correu o dia. Todos que por ali passavam reclamavam e resmungavam por causa da pedra colocada na estrada, mas ninguém lhe tocava.

Finalmente, ao cair da noite, a filha do moleiro por lá passou. Era muito trabalhadora e estava cansada pois desde cedo andava ocupada no moinho, mas disse a si mesma: "Já está quase escurecendo, alguém pode tropeçar nesta pedra à noite e ferir-se gravemente. Vou tirá-la do caminho."

E tentou arrastar dali a pedra. Era muito pesada mas a moça empurrou e empurrou e puxou e inclinou, até que conseguiu retirá-la do lugar. Para sua surpresa, encontrou uma caixa debaixo da pedra. Ergueu a caixa. Era pesada, pois estava cheia de alguma coisa. Havia na tampa os seguintes dizeres: "Esta caixa pertence a quem retirar a pedra." Ela abriu a caixa e descobriu que estava cheia de ouro.

A filha do moleiro foi para casa com o coração feliz. Quando o fazendeiro e o soldado e todos os outros ouviram o que tinha ocorrido, juntaram-se em torno do local onde a pedra estava. Revolveram o pó da estrada com os pés, na esperança de encontrar um pedaço de ouro.

- Meus amigos - disse o rei - , com frequência encontramos obstáculos e fardos no caminho. Podemos reclamar em alto e bom som enquanto nos desviamos deles se assim preferirmos, ou podemos erguê-los e descobrir o que eles significam. A decepção é normalmente o preço da preguiça.

Então o sábio rei montou em seu cavalo e desejando delicadamente boa-noite retirou-se.

O Livro das Virtudes II - O Compasso Moral, de William Bennett

"Todo o obstáculo contém uma oportunidade para melhorarmos a nossa condição".

***********Nota: Os modernos conceitos de metáfora, baseados na obra de Milton Erickson, são adoptados pela PNL.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Em busca de uma vida simples e calma


Com a pressa e agitação dos nossos afazeres diários, acabamos mais tarde ou mais cedo por ansiar por uma forma de vida mais simples e calma. Se a sua vida se traduz numa corrida desenfreada contra o tempo, considere as sugestões abaixo indicadas, pois estas poderão trazer de volta à sua vida sentimentos de tranquilidade e simplicidade.
  1. Simplifique o ambiente à sua volta
    Livre-se de tudo o que já não necessita É espantosa a quantidade de “tralha” que conseguimos acumular nas nossas casas. E isso acontece porque pensamos que poderão um dia contribuir de alguma forma para as nossas vidas. É verdade que podemos retirar satisfação das posses materiais, mas quanto mais acumulamos mais sobrecarregados nos sentimos. Eventualmente viveremos numa constante desordem, mergulhados em pensamentos dispersos e em stress.Comece de imediato a organizar os seus pertences e a desfazer-se de tudo o que já não necessita. Faça doações a organizações de caridade ou a pessoas que lhe são próximas e que beneficiariam dessas coisas. Estará a “matar dois coelhos com uma só cajadada” pois, em primeiro lugar, a sua casa ficará mais leve, fazendo com que se sinta menos limitado em termos de espaço; e, em segundo lugar, irá sentir-se bem consigo próprio por estar a ajudar quem mais precisa.
  2. Modere as suas actividades. Reduza a sua agenda
    É bom que tenha uma vida activa mas não ao ponto de se sentir stressado e com fatiga. Por vezes temos tendência a fazer mais do que o requerido nas nossas obrigações e responsabilidades. Tome algum do seu tempo para pensar nas coisas que realiza ao longo do dia, da semana e do mês. Coloque-se as seguintes questões.
    Precisa mesmo fazer tudo o que faz?
    Não estará ainda a assumir responsabilidades que já não lhe pertencem?
    Considera ser possível estar a consumir muito do seu tempo em actividades que não lhe agradam?
    Elabore uma lista com algumas das obrigações que poderia de imediato eliminar ou delegar. E depois passe à acção e elimine-as ou delegue-as, mesmo que tenha de o fazer gradualmente.
  3. Passe algum do seu tempo em silêncio. Desfrute de uma pausa tranquila
    A maneira mais simples de viver uma vida de simplicidade e tranquilidade é afastar-se com regularidade de todo o barulho da agitação diária. Sentar-se sozinho em silêncio, por poucos minutos que seja, pode reduzir drasticamente os seus níveis de ansiedade e trazer-lhe calma e alegria. Se tem a vantagem de viver perto de um parque ou da natureza, pode até aproveitar a beleza de um cenário natural para aumentar a eficácia da contemplação. Os ruídos do vento agitando as árvores, o chilreio das aves e mesmo os sons suaves de águas a correr em ribeiras, facultarão de imediato e por si só sentimentos de paz e bem-estar.

Quando se procura viver com mais simplicidade, é necessário aprender a desacelerar e a conectar-se mais profundamente com o próprio interior. Quer o faça simplificando o ambiente em seu redor, reduzindo a sua agenda ou desfrutando todos os dias de uma pausa tranquila, o resultado será sempre uma vida mais pacífica e feliz para si e, consequentemente, para todos os que o rodeiam.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Terapia rápida, utilizando a PNL




Muitas pessoas sentem-se perturbadas ou desapontadas com experiências quotidianas registadas como negativas. A partir desse instante, a simples memorização da experiência provoca-lhes desconforto ou sentimentos negativos. Pode ter sido a atitude ou as palavras mais rudes proferidas por um amigo ou familiar mais directo, pode até ter sido a "gafe" deselegante que se cometeu em público e que colocou em causa a própria reputação, pode ter sido a repreensão injustificada do chefe ou até mesmo a visão de uma aranha ou outro insecto que tenha provocado sensações de medo ou pânico.

Não importa muito o que aconteceu, o facto é que a simples recordação do sucedido o faz sentir-se zangado, arreliado, amedrontado ou com qualquer outro sentimento negativo. Richard Bandler, no seu livro “Usando a sua Mente”, propõe uma técnica de PNL que intitula de "terapia super-rápida" e que consta do seguinte:

Pense na cena que o tenha perturbado ou desapontado e olhe atentamente as suas recordações, como se fosse um filme, para verificar se ainda o fazem sentir mal. Em caso positivo, pense nas imagens desde o início da experiência e, assim que começar, coloque um agradável fundo musical de circo. Simplesmente fique a ouvir a música até ao final da cena.Ao voltar a despoletar as suas recordações, poderá verificar que se sentirá melhor. A tragédia foi instantaneamente transformada em comédia. Já sabe, se tem uma lembrança que o faz sentir-se aborrecido e irritado, coloque um fundo musical de circo. Desta forma, quando traz à consciência a recordação, esta virá acompanhada da música e a sensação não será mais a mesma. No final, poderá mesmo dar por si a rir-se às gargalhadas de uma experiência que antes era negativa.

Se o fundo musical de circo não fizer qualquer efeito consigo nessa experiência em concreto, tente um outro género de música ou som que possa ter impacto sobre a lembrança. Experimente, por exemplo, música de ópera, ou a música dos Muppets ou o genérico de algum programa ou série de humor que o faça rir ou que o tenha feito rir no passado. Repita todo o processo como foi referido anteriormente.

Ainda segundo Richard Bandler, existe um outro processo que poderá também utilizar para atingir os mesmos resultados ou para os reforçar e que é o seguinte. Escolha outra lembrança desagradável que o incomode e passe-a, como se fosse um filme, da mesma forma que fez anteriormente. Verifique se a lembrança ainda o incomoda. Em caso positivo, passe de novo as imagens como um filme mas desta vez de trás para a frente, muito rapidamente, como se estivesse a rebobiná-las, em apenas alguns segundos. Volte outra vez ao início da cena e repita a sequência, desta vez da forma normal. Vai verificar que o significado muda completamente.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O péssimo hábito de querer fazer muitas coisas ao mesmo tempo


Muitas pessoas referem sentir orgulho por desenvolver diversas tarefas ao mesmo tempo. Ou, pelo menos, julgam que estão a desenvolver diversas tarefas ao mesmo tempo. Na realidade, tal “habilidade”, ao ser analisada convenientemente, revela não ser aconselhável por se reflectir em baixos índices de produtividade e altos índices de ansiedade para quem a pratica. Obviamente que não me estou a referir a tarefas rotineiras, tal como conduzir enquanto se escuta música ou lavar a loiça enquanto se assiste a um programa de televisão. Refiro-me a actividades que requerem esforço mental e concentração. Poderei dar como exemplo estar a manter uma conversa com alguém enquanto se faz uma pesquisa na Internet.

Mas a verdade é que não conseguimos fazer duas coisas ao mesmo tempo. Neurologicamente isso é impossível, pelo facto de só possuirmos um cérebro. O que na realidade as pessoas estão a fazer, quando dizem que estão a desenvolver diversas tarefas ao mesmo tempo, é a saltitar rapidamente de tarefa para tarefa, prestando atenção aqui, pesquisando ali, andando de trás para a frente e pouco mais do que isso. Esta prática levada a cabo ao longo do tempo, acaba por causar um péssimo habito que resulta em ansiedade, stress e problemas de concentração. Acresce que os resultados não são satisfatórios em termos de produtividade e qualidade.
Pegando no exemplo dado anteriormente de estar a manter uma conversa com alguém enquanto se faz uma pesquisa na Internet, a verdade é que se acaba por não estar a prestar a devida atenção na conversa que se está a ter nem a conseguir pesquisar na Internet os artigos que são necessários.

Para realizar com sucesso tarefas que requerem esforço mental, necessitamos da devida concentração e focalização, sem interrupções. Seguem-se algumas dicas de como retirar a máxima produtividade e desempenho no dia-a-dia, lucrando simultaneamente em paz de espírito e tranquilidade.
  1. Estabeleça um plano de trabalho com as tarefas que necessita fazer ao longo do dia. Convém que não seja demasiado ambicioso e não caia na tentação de colocar mais tarefas do que aquelas que na realidade vai conseguir realizar numa jornada de trabalho. O tempo não é infinito nem tão pouco você é um super-herói.
  2. Defina as prioridades para esse dia, ordenando e numerando as tarefas.Comece pelas tarefas prioritárias e não resista à tentação de começar por aquelas que gosta mais de fazer.
  3. Ao fazer cada tarefa, concentre-se profundamente nessa tarefa específica, não pensando absolutamente em mais nada a não ser na sua concretização. Quando chegar ao fim dessa tarefa, faça um curto intervalo (poderia nesta pausa incluir a conversa com alguém) e passe então à tarefa seguinte da lista.
    Obviamente que pode acontecer que uma determinada tarefa se componha de várias fases ao longo do tempo, por exemplo hoje fazer um esboço de um artigo, amanhã fazer pesquisas na Internet para enriquecer esse artigo, no dia seguinte fazer a conclusão desse artigo.